A educação sexual na adolescência começa dentro de casa. Dicas da sexóloga Centopéia.

Dicas, Educação

Dicas da Centopéia, a sexóloga colaboradora animal.

Eu sou a Centopéia cheia de perninhas, a sexóloga do BV. Mais uma colaboradora da fauna brasileira por aqui. Fui chamada para dar as dicas sobre sexo e esclarecer os medos da vida sexual na adolescência, porque o meu lema é: só abra as perninhas com camisinha! E olha que de perninhas eu entendo, e muito! Quantas perninhas!

Os pais podem ajudar ou prejudicar.

Tudo é uma questão de atitudes.

O sexo na adolescência é um tema ainda pouco abordado dentro de casa pelos pais de adolescentes, mesmo com toda mídia erótica dizendo: faça sexo, faça sexo, faça sexo em programas de reality show como “A Fazenda” na Record ou nos BBBs da Rede Globo, além das novelas onde cultivamos o hábito de acreditar no amor apaixonado intimamente ligado ao sexo.

Já passou da hora dos pais encararem de frente essa necessidade da descoberta sexual na adolescência. É necessário valorizar o prazer sexual que sentimos fazendo sexo de forma segura e equilibrada, sem distorções, sem preconceitos, sem falta de informação. Esconder isso do adolescente é incentivá-lo a fazer sexo escondido, correndo todos os riscos pela falta de esclarecimento e informações: educação que começa dentro de casa.

Se você ama a sua filha ou o seu filho adolescente, converse naturalmente sobre esse momento da vida deles, onde a descoberta sexual é inevitável. Nada de bater no seu filho se pegar ele se masturbando, porque o prazer sentido na masturbação é gostoso e faz parte da vida de todo ser vivo! Masturbação não é pecado! Não é justo que você transfira os seus medos e preconceitos para mais uma geração como aconteceu na sua adolescência. Vai repetir o seu pai ou a sua mãe e deixar de ajudar seu filho ou sua filha que você tanto ama, num momento tão íntimo?

Está na hora de desmistificar o sexo na adolescência, quebrar esse tabu. Sexo é bom, como é bom andar, trabalhar, fazer ginástica, estudar e namorar. É mais uma das necessidades humanas que chega na adolescência e que precisa ser atendida e satisfeita, para colaborar com o equilíbrio emocional, profissional e financeiro de toda a família.

A questão não é influenciar ou estimular o sexo antes do “tempo certo”. E esse “tempo certo” é de cada um, mas principalmente prevenir comportamentos inadequados ou assimilados de forma distorcida com as informações eróticas que chegam por todo lado, seja na TV, na internet ou através de coleguinhas de escola. É dever dos pais esse esclarecimento sexual, nortear condutas e atitudes que vão possibilitar uma vida sexual saudável, além de evitar frustrações, arrependimentos e a própria falta de prazer sexual no futuro.

Não é estimular o sexo pela permissividade, mas apresentar os seus caminhos através de um diálogo aberto e sem censuras. É bom compartilhar dessa segurança com os nossos filhos para conhecê-los e acompanhá-los em suas descobertas sexuais.

Não fique esperando que sua filha ou seu filho lhe procure para tirar dúvidas, se você não abriu esse canal de comunicação. Dizer simplesmente que não quer ouvir conversas de namoro, que a hora agora é só estudar, é a mesma coisa que virar as costas para a descoberta do prazer sexual na adolescência. É melhor tomar coragem para falar de sexo com seu filho ou filha, do que virar avó ou avô antes do tempo.

A internet, a TV e todos os meios de comunicação facilitam a vida dos jovens na procura de informações que ajudem a sua descoberta sexual, e eu, a Centopéia cheia de perninhas, trago uma dica bem esperta que previne doenças sexualmente transmissíveis (DST): só abra as perninhas com camisinha! Eu mesmo tenho muitas perninhas e só abro as minhas perninhas com camisinha!

Com esse cuidado, a Centopéia que vos fala evita doenças sexualmente transmissíveis (DST) como gonorréia, sífilis e Aids. Além de decidir, eu mesma, quando devo ou não ter o meu filhinho.

Assista o curta “Sexo não é Brincadeira“, produzido pela Companhia da Saúde, um grupo de teatro circense da ABIA formado por jovens adolescentes da periferia do Rio de Janeiro que conta a história de um casal de adolescentes que ‘ficam’ num baile no Rio de Janeiro e descobrem os riscos do sexo sem o uso da camisinha.

Por isso eu sempre digo: só abra as perninhas com camisinha! Aqui quem fala é a Centopéia Sexóloga, olha que não me faltam perninhas.

Fonte: G1, Uol, Terra, Google. Idéia criativa da Centopéia: Ana Lúcia Pereira.

Author

Valdiki Moura

Valdiki Moura, 50 anos – Profissional de Comunicação e Marketing com experiência em publicidade, internet, TV, teatro e música.

3 Comments

  1. sidney 2009/07/21 at 20:41

    Hi, this is a comment.
    To delete a comment, just log in and view the post's comments. There you will have the option to edit or delete them.

  2. lindalva 2009/09/20 at 22:22

    Hi, this is a comment.
    To delete a comment, just log in and view the post's comments. There you will have the option to edit or delete them.

  3. carol 2010/11/15 at 13:13

    Hi, this is a comment.
    To delete a comment, just log in and view the post's comments. There you will have the option to edit or delete them.

Leave a comment

Back to Top